Siririca, bater um bolo, dedar-se, se consolar ou simplesmente masturbação feminina. Acreditem, em pleno século 21 este é um assunto que ao menos no Brasil ainda gera grandes tabus com o patrocínio claro da moral, bons costumes e religião. Sabemos que moral e bom costume de cu é rola. Então manja essa história que recebi pelo facechat ai:

screen_masturbacao

 

Já são mais de 04 da matina e eu estou aqui neste quarto escuro refletindo sobre como as pessoas ainda se prendem a tabus que francamente, não se sustentam mais na sociedade atual. Imagine você a situação relatada pela pessoa que vou chamar ficcionalmente de “Elaine”. Antes de mais nada, é importante ressaltar que a masturbação, seja masculina ou feminina é um fenômeno natural de autodescoberta sobre o próprio corpo. Se você se masturba todos os dias, uma vez por semana ou não se masturba, é uma relação que você tece consigo mesmo. Afirmar que masturbação é coisa de quem está na pedra é no minimo falta de preparo quanto a vida, afinal de contas gozar é bom não é? Seja transando ou através da masturbação sempre será bom embora sejam coisas e sensações diferentes.

Como homem posso afirmar que a maioria de nós nos masturbamos frequentemente e não tenho pudor algum em dizer que gosto de fazer isso todo dia, até duas vezes seguidas se me der vontade e não é questão de falta de mulher, afinal hoje em dia sexo é algo que se consegue com grande facilidade. Sim eu bato punheta todo dia e também gostaria de transar se possível todo dia, uma coisa não anula a outra.

Infelizmente as pessoas vivem em um mundo onde são compelidas em nome da moral, bons costumes e religiosidade a serem puramente hipócritas. Em tempos não tão distantes, a masturbação era considerado um ato abominável, de modo que até mesmo em relações sexuais somente nós homens poderíamos ter prazer, ao passo que mulheres deveriam se conformar somente em ser receptáculo para a procriação da espécie, não sendo a elas legado o direito de ter prazer. A masturbação nada mais é do que uma forma de libertar o próprio corpo e dar vazão ao desejo de se conhecer, se tocar e se descobrir.

Durante toda a vida nós passamos por fases de descoberta quanto ao prazer sexual, sendo zonas erógenas chaves a boca, o ânus (tanto para homens quanto para mulheres e não torça o nariz, deixa de frescura pois isto é fato) e por fim a região genital. Aprender a se masturbar e ter orgasmos com isso é exercer poder sobre si mesmo(a), por isso que existe sexo oral, afinal de contas você pode fazer um boquete nele(a) e ser incrível, mas nunca irá masturbar ele(a) tão bem quanto ele(a) mesmo(a).

Se achar anormal ou estranho, ninfomaníaco(a) ou tarado(a) pelo fato de gostar de se masturbar é pura besteira, você é extremamente normal “Elaine”, o problema são as pessoas que não conseguem enxergar além daquilo para o qual elas são programadas. É fato que existem distúrbios sexuais em que as pessoas são masturbadoras compulsivas e acabam até mesmo se machucando de tanto se masturbar e não tem controle sobre, nem hora nem lugar, mas certamente este não é o seu caso. Acho muito corajoso e digno que mulheres bem resolvidas assumam que gostam de se masturbar e transar. Para que deixar oculto quem você realmente é? Entendo que existem pessoas que são reservadas e ninguém tem motivos pra ficar por ai escancarando a vida sexual ou seus gostos, mas nunca deixe alguém fazer você se sentir diminuído(a) por gostar de explorar o próprio corpo e se dar prazer.

Eu aposto sem medo de errar que a maioria das pessoas que teceram criticas pesadas a pessoa que comentou o assunto comigo no chat não são sexualmente bem resolvidas, pois só quem é bem resolvido(a) é capaz de entender sexualidade com a leveza que o assunto realmente possui. Siririca deve ser algo muito maneiro para garotas que curtem e praticam, imagino que sim pois punheta é (risos). O toque ao corpo, se dar prazer e descobrir a si mesmo(a) é um processo natural. As pessoas reagem de maneiras diferentes quanto a isso mas o que nos importa entender é que é direito de cada um agir da forma que se sente feliz.

Confesso que este assunto me deixou consternado pois não é a primeira vez que percebo garotas com dificuldades em falar sobre masturbação. O que tem ué? É tão gostoso, só não mais do que transar com alguém mas antes, durante ou até mesmo depois, se masturbar ou ser masturbado(a) é muito maneiro. Evita que a gala suba pra cabeça e as pessoas tenham ideias turvas, como as que criticaram a “Elaine” por esta ser  sexualmente bem resolvida consigo mesma. As pessoas precisam transar mais, assim como se masturbar mais, assim não terão tempo para ficar cogitando ideias que simplesmente não se sustentam em tempos de liberdade sexual feminina. Só acho e #fui.

Acauã Pyatã
Na maior parte do tempo: publicitário e blogueiro, nas raras horas vagas um tremendo vadio de skate e desocupado no Insta. Insurgente, divergente e procrastinador. O tipinho de cara que escolheu morrer de pé ao ter que (sobre)viver de joelhos, alguém que escolheu ser a navalha ao invés da carne, um homem que absolutamente não é obrigado a nada, entendeu? N-A-D-A. Um maldito índio moderno em uma arcaica selva de pedra que um dia haverá de cair. Mas não agora, não mesmo. Fale com ele pelo e-mail: diego@derepente.blog.br