Conto erótico (ficcional) por: Bah.Delicious.

adv_blog_18

Não era uma noite como outra qualquer, o clima era favorável para uma boa trepada. A noite estava fria, a rua soturna, o cheiro de chuva emanava do asfalto molhado, o vento frio subia por dentro da roupa e arrepiava levemente a minha nuca. Tinha acabado de sair do banho, a masturbação frenética já tinha melado meu corpo e eu ainda não estava satisfeita…eu queria mais!

Estava pronta pra ir para cama, deitada e enrolada na toalha totalmente despida por baixo. Já havia dispensado vários convites de transas casuais, pois a única que eu queria estava a aproximadamente 654 km dali. E então quando estava prestes a ir dormir, uma ligação acelerou os meus batimentos. Era o Gideon. Sem me conter atendi e do outro lado da linha a sua voz suave e ao mesmo tempo autoritária, pronunciou meu nome: “Eva!”. Perguntou onde eu estava e não exitei em responder. Ele para minha surpresa estava a minha espera na frente de casa.

Não acreditei, duvidei de imediato até que o som da buzina do seu carro eu escutei. Ao abrir a porta do carro, deparei me com o seu semblante tarado, prestes a me foder ali mesmo e eu, sem perder tempo, sentei no seu colo. Eu estava vestida propositalmente com um vestido soltinho e sem calcinha e ele ainda com a roupa do serviço: uma calça jeans, camisa pólo branca e sua bota. Sem tempo pra qualquer outro tipo de assunto, senti uma das mãos dele subindo rapidamente por dentro do vestido enquanto a outra habilidosamente descia o zíper da lateral. Ele sugava meu seio e me masturbava ao mesmo tempo e desabotoava a sua calça. Tudo tão rápido e ao mesmo tempo gostoso.

Quando enfim conseguir tocar seu pau, que saltava pela cueca box, não houve tempo pra sexo oral, pois o tesão tomava conta do meu corpo. Sentindo o seu corpo sobre o meu, que estava em brasa, pude sentir seu pau penetrando na minha buceta totalmente molhada… sensação de gozo quase instantâneo.

Movimentos rápidos e precisos, o orgasmo foi inevitável e esquecemos onde estávamos, totalmente entregue ao prazer!

Pena que o livro acabou…

Quem é ela? Ela é BAH.DELICIOUS

Jeito de menina, atitudes de mulher. Dona de um sorriso lindo e inesquecível, Corinthiana, divertida e claro muito linda. Adoro animais e curto boa música, amante da leitura. As vezes direta até demais. O sonho de todo homem inteligente e o pesadelo das recalcadas.

Acauã Pyatã
Na maior parte do tempo: publicitário e blogueiro, nas raras horas vagas um tremendo vadio de skate e desocupado no Insta. Insurgente, divergente e procrastinador. O tipinho de cara que escolheu morrer de pé ao ter que (sobre)viver de joelhos, alguém que escolheu ser a navalha ao invés da carne, um homem que absolutamente não é obrigado a nada, entendeu? N-A-D-A. Um maldito índio moderno em uma arcaica selva de pedra que um dia haverá de cair. Mas não agora, não mesmo. Fale com ele pelo e-mail: diego@derepente.blog.br