Um dia desses estava no ônibus e não pude deixar de notar com curiosidade a conversa de duas garotas que estavam sentadas a frente, ambas discutiam que os caras hoje em dia não estão interessados em relacionamentos sérios, até topam namorar mas ficam na sacanagem. O namorado de uma delas (que tinha se tornado ex em virtude da situação), propôs pra ela um relacionamento aberto, o que ela achou um absurdo pois ela era moça de família, por isso só queria namorar se fosse um relacionamento sério. Palavras dela.

Acontece meus amigos e amigas, que as pessoas estão completamente equivocadas quanto ao que é de fato um relacionamento sério. Para começar o papo, relacionamento é o ato de duas os mais pessoas ofertarem trocas entre si, sejam tangíveis ou intangíveis, em caráter profissional, familiar, pessoal ou em qualquer cenário onde exista a interação e interdependência entre ambos mesmo que minima. Relações humanas são pautadas por interesses em comum. Quando falamos de um homem e uma mulher, um homem e um homem ou uma mulher e uma mulher, no aspecto emotivo, estamos falando de relações em que existe a troca afetiva. Quando falamos em algo sério, estamos tratando de algo transparente, reto, que não transija, franco e real.

Podemos entender relacionamentos sérios, no aspecto afetivo, entre pessoas que exercem trocas afetivas e são transparentes, francas e reais entre si. O que existem são relacionamentos sérios e relacionamentos obscuros, o que é diferente de relacionamentos abertos e relacionamentos exclusivos.

Um relacionamento aberto pode ser definido como uma relação em que um ou ambos os(as) envolvidos(as) tem e se dão a liberdade de se relacionar sexualmente ou até mesmo efetivamente com outras pessoas (o chamado poliamor), ao passo que no relacionamento exclusivo, o casal acorda entre si que não existem relações secundárias. Eu acredito que ambas as formas de relacionamento podem ser consideradas sérias desde que ambos estejam em comum acordo, cientes e claro, satisfeitos. As pessoas tendem a acreditar que relacionamentos que não são exclusivos não possuem seriedade e são avacalhados. Este é um erro motivado pela ignorância e não aceitação ao que foge do senso comum.

Assim como eu, garotos e garotas que possuem amizades em que ocorre o que chamamos de buça amiga ou B.A (para elas e homos pau amigo ou P.A), sabem muito bem que é perfeitamente possível se relacionar sexualmente com alguém sem o sentimento de posse ou exclusividade. Tudo bem que são situações diferentes visto que não existe ai uma dependência afetiva fomentada pela paixão e sim somente pela amizade. Existem pessoas que conseguem ter relacionamentos apaixonados, com namoros e casamentos declarados, mas vivem na intimidade a prática da relação aberta. Quem poderá dizer que este não é um relacionamento sério? Já que ambos sabem, estão de acordo e são felizes? As formas de se relacionar com alguém são tão variadas que chegam quase a ser infinitas.

O problema começa a acontecer em relacionamentos obscuros, onde um ou ambos desenvolvem relações ou práticas sexuais secundárias sem o conhecimento do parceiro(a), de modo que existe ai a ação da mentira e do engano, gerando ao final aquele sentimento de raiva, mágoa e remorso.

Eu sei que é um tema bobo e besta, deveras simples para o que geralmente tratamos aqui, mas é importante levantar esta questão em tempos onde as pessoas estão se permitindo viver e experimentar mais do que comumente temos tido como comum aos olhos da moral, bons costumes e religião.

O que você pensa sobre isso? Um relacionamento só é sério se for exclusivo? Relacionamentos abertos também são obscuros? Opine! Estamos aqui para isso. Penso que obscuro na verdade é pensar que só o que você entende como sério de fato o é. Abraços do tio.

Acauã Pyatã

Na maior parte do tempo: publicitário e blogueiro, nas raras horas vagas um tremendo vadio de skate e desocupado no Insta. Insurgente, divergente e procrastinador. O tipinho de cara que escolheu morrer de pé ao ter que (sobre)viver de joelhos, alguém que escolheu ser a navalha ao invés da carne, um homem que absolutamente não é obrigado a nada, entendeu? N-A-D-A. Um maldito índio moderno em uma arcaica selva de pedra que um dia haverá de cair. Mas não agora, não mesmo.

Fale com ele pelo e-mail: diego@derepente.blog.br