Confesso que as vezes me sinto alguém que aspira nas pessoas a ideia de erótico ou pornográfico, pois a maioria das minhas conversas com as minhas amigas ou conhecidas acabam terminando em assuntos correlatos a sexo e coisas neste sentido. E a última vez que isto ocorreu, nesta semana, a fala de uma brotha ai me chamou a atenção, por ser muito recorrente. Ela disse algo mais ou menos assim:

Cara, quando eu vejo um homem com cara de mal, eu fico toda molhada. Porra homem tem que ser homem, não tem que ter frescurinha ou não me toque.

E ela prosseguiu relatando que tem caras que as vezes vem com cada papo e ideia que são broxantes, ao ponto dela muitas vezes preferir os próprios dedos do que o cara. Esta semana ainda conheci uma garota que dentre diversas outras coisas, a deixava empolgada caras cabeludos e roqueiros. Ontem, fui na faculdade fazer a minha prova da pós graduação e um amigo relatou que no momento em que eu cheguei para dar olá, a amiga dele, que estava com ele, contava que tinha interesses em caras barbudos e roqueiros. Realmente percebi isso pois ela tentou puxar assunto fazendo um comentário um tanto incomum digamos.

O papo aqui hoje é sobre o mito do cara mau e subversivo. Não é de hoje que nós homens temos a impressão que especialmente as novinhas gostam de um cara mau. Mas o quem são esses caras no senso comum? Barbudos e cabeludos do rock? Homens com modos rústicos, ideias fortes e fora do comum? Caras tatuados que rodam em cima de motos custom? Pode ser tudo isso, parte disso e também nada disso.

Surge também ai o mito de que se você é um cara direitinho, romântico e quer fazer as coisas certas, ela vai preferir o filho de uma puta que vai tratar ela mais ou menos, comer e depois fazer ficar correndo em cima. Só que este mito não é exatamente um mito, somente em partes. Em minha humilde opinião de mascu, isto ocorre normalmente com dois tipos de mulheres: muito jovens ou aquelas que estão necessitando urgentemente de emoção na vida.

O que a figura do cara mau representa para as garotas na verdade não é a consolidação de um masculino bruto, forte, protetor, diferente e exótico, como nós homens geralmente concluímos ao associar com a figura do macho alpha, mas a oportunidade de viver algo fora da caixa, fora do comum. Para elas normalmente caras assim são a representação da aventura, do desafio, de uma experiência nova e quem sabe intensa. Todos nós sabemos que o cotidiano é monótono e sempre que algo diferente, inusitado e perigoso acontece, faz com que o coração bata mais forte e isso é ótimo.

Me lembro de quando tinha 16 anos e sai de madrugada pela primeira vez para pular o muro da casa da garota, em seguida a janela do quarto e aproveitar até a hora de voltar antes que meus pais acordassem. Aquela noite foi memorável pois fizemos barulho demais, o pai dela acordou e eu tive que sair correndo com parte da roupa nas mãos. Sim amiguinhos, a experiência foi excitante do inicio ao fim e eu faria de novo se pudesse, como fiz várias vezes. Mas a medida que você vai fazendo esse tipo de coisa, não vai mais tendo graça, nunca como na primeira vez e por mais que você “apronte”, o nível de emoção da coisa cai consideravelmente.

Como homens não são todos iguais, caras maus são cada um, um tipo de aventura diferente, geralmente proporcionam boas e intensas histórias e paixões para estas mulheres. Já no caso de garotas mais jovens, especialmente adolescentes, os garotos maus e subversivos são a representação do mito moderno no anti-herói, do “principe” das trevas e da sensação de que elas vivem uma paixão bem underground. Para mulheres mais maduras, os caras assim são aventuras interessantes, um joguinho maneiro que diverte enquanto não aparece algo mais interessante.

É importante ressaltar que nem todo “cara mau” vai ser um motoqueiro tatuado, barbudo, roqueiro, com cara invocada e modos um tanto rústicos. Existem várias formas de ser um cara mau. Para mim, convencionei que caras maus podem ser caras sem frescuras, não no sentido vinculado a homossexualidade mas de diversos “poréns”. Convenhamos que gente cheia de “porém” não é de deus e é chata pra cacete, chega broxa.

Então vamos encerrar sendo objetivos: toda mulher em algum momento dos seus dias necessita de um cara mau, mas também necessita de um cara bom. Você pode ser os dois, pode ser o cara que confere atenção, afeto e segurança na relação com estabilidade e também ser aquele que propõe aventuras a dois e para os dois, que te tornem em determinados momentos o cara mau dela. O cara mau nada mais é do que a figura masculina que personifica o escapismo da mesmice e de tudo aquilo que elas não curtem em um relacionamento, que geralmente se resume em monotonia. Se você tem esposa ou namorada, saiba que pode ser um excelente parceiro e também ser o cara mau, basta que queira e descubra como. Bom, foi a esta conclusão que cheguei até o presente momento, em 27 anos de vida dos quais uns 12 foram me envolvendo em relações que vão de divertidas e interessantes até loucas e estranhas. Agora como ser o cara mau dela amigo? Ai eu já não tenho bola de cristal, a mulher é sua então se vire. Falow aew.

Acauã Pyatã
Na maior parte do tempo: publicitário e blogueiro, nas raras horas vagas um tremendo vadio de skate e desocupado no Insta. Insurgente, divergente e procrastinador. O tipinho de cara que escolheu morrer de pé ao ter que (sobre)viver de joelhos, alguém que escolheu ser a navalha ao invés da carne, um homem que absolutamente não é obrigado a nada, entendeu? N-A-D-A. Um maldito índio moderno em uma arcaica selva de pedra que um dia haverá de cair. Mas não agora, não mesmo. Fale com ele pelo e-mail: diego@derepente.blog.br