adv_blog_18

Se liga nessa história que encontrei no Secret:

Screenshot_2014-12-11-23-25-27

Screenshot_2014-12-11-23-25-49

 

Bom, não preciso dizer que o assunto de hoje são fantasias sexuais ou como alguns também chamam: fetiches. Sexo é um assunto tão profundo, intenso, complexo e desconhecido quanto a mente humana, tão logo sobre isso podemos esperar de tudo. Nas conversas pelo Facebook e WhatsApp “ouço” muita coisa interessante e até mesmo intrigante sobre, como uma garota que disse sempre se masturbar pensando nela assistindo o namorado transando que nem um animal com outra garota (o nome disso é Voyeurismo), que de maneira curta é o fetiche em que alguém obtém prazer ao observar outras pessoas transando. Esta mesma garota disse que embora tivesse muito tesão nessa possibilidade, tinha medo de propor isso para o namorado e ela acabar descobrindo que não gosta na hora H e estragar o relacionamento, ou que ele pudesse entender que ela gosta de ser corna.

Li uma vez também o relato de um cara (esse não conheço) que disse que adorava frequentar clubes de swing com as esposa e que ambos curtiam transar o casal mais um ou dois caras se revesando ou ao mesmo tempo com a mulher. Existem fetiches menos extravagantes, como pessoas que gostam de ser amarradas ou algemadas enquanto transam, ou de ter as costas rasgadas por unhas, levar mordidas, chupar os dedos e etc… A questão proposta aqui é: Isso é normal?

Nossa sociedade sempre foi muito condicionada a ver sexo como um meio para reprodução da espécie e somente no último século, com o desprendimento cada vez maior do pensamento e reflexão sobre o assunto de questões religiosas, sexo foi descoberto como algo para a obtenção de prazer. Eu particularmente acredito ser o orgasmo a maior sensação de prazer que uma pessoa pode experimentar, em condições normais claro. Com todas as questões morais impostas em torno de sexo e que ainda irão ressoar por muito tempo, tudo que fuja do convencional, até mesmo quando o assunto é a obtenção de prazer, acaba ganhando ares de nocividade. Como todos nós sabemos a nossa sociedade é extremamente hipócrita, de modo que muitas pessoas sentem vontade de se permitir aquilo que condenam, ou condenam aquilo do qual se permitem para manter a postura da “moral e bons costumes”. Tem uma brothona que divertidamente sempre me dizia que quando alguém levanta a bandeira da moral e dos bons costumes, começa uma surubona em algum lugar. Eu creio nisso.

Eu não acredito que qualquer forma de fetiche ou obtenção de prazer seja prejudicial, ilícita ou errada desde que preserve a integridade física e saúde dos envolvidos e que todos os que participam estejam de acordo. Confesso que já me permiti algumas estripulias com algumas B.A que tive, já que eram simplesmente amigas com quem rolava eu não me importei em ver qual era da história, mas quando tenho envolvimento emocional, paixão e apego com a pessoa, como uma namorada por exemplo, fetiche só se for a dois e não envolva mais nenhum outro agente. Coisas além disso não me agradam, não me dão prazer. Como pode não é? Como te disse, o ser humano é curioso, profundo, intenso e complexo, logo sexo não seria diferente.

Outra questão muito interessante é que as pessoas muitas vezes tem fetiches e sentem vergonha de conversar sobre com suas parceiras. Cara tá certo que tem coisas que qualquer garota estranharia, mas conversar sobre não custa nada especialmente se você sempre for bem claro que pensa sobre mas que jamais faria algo do qual ela não esteja de acordo. Além do que, falar sobre sexo sempre deve ser feito com bom humor e descontração. Uma forma maneira de introduzir este assunto nela (ui beleza!) é ir aos poucos brincando e ir vendo como ela reage, isso ajuda a quebrar o gelo e habitar com o tema. Mesmo que ela leve na brincadeira te garanto que ela vai pensar sobre.

O fetichismo, brincadeiras sexuais e fantasias são umas das partes mais interessantes do relacionamento sexual, já que são esses elementos que conferem o ar de constante novidade, desafio e experimentação ao par. Embora eu seja meio tradicional, tenho os meus fetiches e topei realizar muitos dos que minhas ex já propuseram, sempre acho interessante pensar sobre isso, afinal de contas você dificilmente irá descobrir novas, divertidas e interessantes experiencias sem ao menos não pensar sobre. Quais os teus fetiches? Deixa de ser maniaco(a)! (Risos). Falow aew.

Acauã Pyatã
Na maior parte do tempo: publicitário e blogueiro, nas raras horas vagas um tremendo vadio de skate e desocupado no Insta. Insurgente, divergente e procrastinador. O tipinho de cara que escolheu morrer de pé ao ter que (sobre)viver de joelhos, alguém que escolheu ser a navalha ao invés da carne, um homem que absolutamente não é obrigado a nada, entendeu? N-A-D-A. Um maldito índio moderno em uma arcaica selva de pedra que um dia haverá de cair. Mas não agora, não mesmo. Fale com ele pelo e-mail: diego@derepente.blog.br